HISTÓRIA

Origem
José António Oliveira Soares com origem no alentejo, foi quem introduziu o negócio do azeite na família nos inícios do sec. XX. A sua paixão pelo negócio do Azeite levou-o a construir um lagar junto às muralhas da cidade de Évora (uma zona residêncial da cidade aonde ainda hoje existem parte das ruínas do lagar).

O objectivo desta construção, não era a produção em larga escala, mas a garantia da qualidade do azeite produzido. Por força das partilhas das herdades ao longo das gerações e a incompatibilidade de algumas profissões dos herdeiros com o negócio do azeite, a produção de azeite foi-se extinguido lentamente até que apenas a criação de gado era o negócio preponderante.

Passado alguns anos, em inícios do sec. XXI um dos descendentes, Rodrigo Cordeiro da Silveira volta apostar no negócio do azeite de alta qualidade, este com o nome d’Oliva. 

d’Oliva
Em 2005, foram plantadas cerca de 8.500 Oliveiras (Olival com cerca de 30 Hectares) na herdade das Freiras. 

Nesta herdade com mais de 400 Hectares, que já tinha produção agrícola com criação de gado bovino e suino (Porco Preto), foi também construida uma pequena barragem com o intuito de irrigar esta plantação e dar as melhores condições ao seu bom desenvolvimento (com rega automática, sistema conhecido por “rega, gota-a-gota”). Toda esta plantação e trabalho foi cuidadosamente estudado e desenvolvido conjuntamente por Eng. Agrónomos e especialistas da Olivicultura.

´